TRÂNSITO

Mais de 130 faixas em BH devem receber detector que multa avanço de sinal

BHTrans projeta ter 728 faixas de tráfego monitoradas com equipamentos, frente ao número atual de 591 faixas, crescimento de 23,15%

Por Dijoan Santos
Publicado em 28 de maio de 2024 | 18:34
 
 
 

A Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) quer ampliar de 591 para 728 o número de faixas de tráfego fiscalizadas por detectores de avanço de sinal de vermelho. Atualmente, são 213 equipamentos espalhados pela cidade, que operam em 187 locais. Em 2023, esses dispositivos registraram 127.222 infrações, o que corresponde a uma média de quase 350 por dia.

A informação é revelada pela diretora de Dados e Informações para a Transição da BHTrans, Jussara Bellavinha. Os critérios de escolha dos pontos de instalação vão considerar fatores como fluxo de veículos e pedestres. Também vão ser consultados dados históricos de registros de ocorrência. Ainda não há prazo para a ampliação ocorrer.

"O desejo seria que toda aproximação semafórica tivesse equipamento, mas isso, economicamente, é impossível", avalia Jussara Bellavinha. BH possui, atualmente, 1.098 cruzamentos com semáforos. Cerca de 800 ainda não possuem os dispositivos. "Estamos com um número menor de detectores do que gostaríamos, mas a tendência é crescer", analisa.

A operação dos detectores de avanço de sinal não exige sinalização vertical de indicação educativa nos locais fiscalizados, como ocorre com os radares de velocidade. Isso ocorre porque o semáforo "é a própria sinalização de regulamentação, devendo ser respeitado por todos os condutores", estabelece o Conselho Nacional de Trânsito (Contran).

"Se a pessoa dirige corretamente e segue as normas de trânsito, ela não vai ser multada", avalia o especialista em segurança no trânsito Agmar Bento. Ele concorda com a ampliação dos pontos de fiscalização.

"A maioria dos acidentes acontece nos cruzamentos, por isso é importante essa fiscalização do avanço de sinal. Precisa ter mais dispositivos. As pessoas obedecem quando descobrem que há o detector de avanço", analisa.

Também especialista em segurança no trânsito, Roberta Torres acrescenta que o objetivo principal da fiscalização é preventivo. “Muitas pessoas ainda agem não pela postura de segurança em si, mas pelo medo da penalidade. A multa, no final das contas, acontece depois que a infração foi cometida, portanto, o risco de um acidente já houve”, conta.

Novos radares em BH

A informação de que Belo Horizonte terá mais detectores de avanço de sinal vermelho ocorre em meio ao anúncio da instalação de 90 novos radares, que funcionam como detectores de excesso de velocidade, conversão proibida e invasão da faixa de ônibus.

O Executivo municipal não informou todos os locais que irão receber os radares, mas confirmou que na lista estão as avenidas Afonso Pena, Cristiano Machado, Pedro I, Amazonas e Antônio Carlos. Os equipamentos vão ocupar espaços vazios após a retirada de 43 radares no final do ano passado pelo fim do contrato com a empresa fornecedora.

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!