","@context":"https://schema.org","headline":"Homens são presos em Betim suspeitos de venderem animais silvestres","alternativeHeadline":"Homens são presos em Betim suspeitos de venderem animais silvestres","description":"Uma arara-azul e uma jiboia, além de um revólver e uma arma falsa, foram apreendidos com a dupla; eles vão responder por crime ambiental ","articleSection":"ultimas","datePublished":"2022-11-05T15:22:02-0300","dateModified":null,"isAccessibleForFree":true,"author":{"@type":"Person","name":"Anônimo - O Tempo Betim"}} Homens são presos em Betim suspeitos de venderem animais silvestres | O Tempo Betim | O TEMPO Betim
 
Veja o vídeo

Homens são presos em Betim suspeitos de venderem animais silvestres

Uma arara-azul e uma jiboia, além de um revólver e uma arma falsa, foram apreendidos com a dupla; eles vão responder por crime ambiental

Publicado em 05 de novembro de 2022 | 15:22

 
 
normal

A Polícia Militar de Minas Gerais prendeu em Betim, na região metropolitana, na noite da última sexta-feira (4), dois homens, de 22 e de 30 anos, suspeitos de comercializarem animais silvestres.

No veículo em que eles estavam, conduzido por um motorista de transporte por aplicativo, foram encontradas uma arara, além de um revólver calibre .38, um simulacro de arma de fogo e munições. 

A prisão da dupla aconteceu durante uma operação no bairro Várzea das Flores. Ao realizar a abordagem ao veículo, um dos ocupantes saiu e jogou uma bolsa debaixo do automóvel. Nela, foram encontrados um revólver calibre .38, um simulacro de arma de fogo, além de seis munições intactas. Já dentro do carro, os policiais acharam a arara azul em uma caixa de papelão.  

O motorista do veículo disse que iniciou a corrida dos dois ocupantes presos em Santa Luzia, na Grande BH. De lá, os passageiros solicitaram uma parada em Sabará e, logo em seguida, seguiram em direção a Betim, próximo a um pesque-pague no bairro Várzea das Flores. 

À polícia um dos suspeitos revelou ainda que mantinha uma cobra em sua residência. Os militares foram até o endereço do imóvel informado por ele, onde foram recebidos pelo irmão do homem, que confirmou sobre a presença do animal e entregou a jiboia para os militares. 

Os suspeitos, que vão responder por crime ambiental e posse ilegal de arma de fogo, não quiseram dar informações sobre onde pegaram os animais.

A arara e a jiboia foram levadas para a sede do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente (Ibama) em Belo Horizonte. Já as armas apreendidas foram entregues para a Polícia Civil.